search

Copom reduz Selic a 6% e puxa para baixo juros do crédito imobiliário

Setor se beneficia da cobrança de menores taxas junto aos consumidores

1/8/19

O Banco Central reduziu a Selic – taxa básica de juros do Brasil – para 6% em reunião do Conselho de Política Monetária (Copom) realizada na última quarta-feira. Este é o menor patamar histórico do indicador, criado em 1996, e vem após dez reuniões consecutivas nas quais o Copom havia mantido a Selic em 6,5%.

Em comunicado ao mercado, o conselho afirma que as “diversas medidas de inflação subjacente encontram-se em níveis confortáveis, inclusive os componentes mais sensíveis ao ciclo econômico e à política monetária”, ressaltando as previsões de baixa inflação para este e os próximos três anos – sempre abaixo dos 4%.

O Copom projeta, ainda, que a Selic pode ser cortada novamente nas próximas reuniões: “O Comitê avalia que a consolidação do cenário benigno para a inflação prospectiva deverá permitir ajuste adicional no grau de estímulo”, mas reitera que novos reajustes para baixo dependem da evolução da atividade econômica, com destaque para a “continuidade da agenda de reformas”. 

Logo após o anúncio do Banco Central, o Banco do Brasil divulgou que a partir da próxima segunda-feira, 5 de agosto, vai reduzir as taxas de juros em empréstimos para pessoas físicas e jurídicas e no financiamento imobiliário. No Sistema Financeiro da Habitação (SFH), as tarifas mínimas caem de 8,49% para 8,29%, e na carteira hipotecária, de 8,85% para 8,65%. 

O Itaú Unibanco declarou que o corte de 0,5 ponto percentual na Selic será repassado integralmente a partir de segunda-feira, mas, por ora, não incluiu o financiamento imobiliário no rol de serviços que sofrerão reajustes – apenas empréstimos a pessoas físicas e capital de giro para empresas terão corte, inicialmente.

Até o momento, Bradesco e Santander, os outros dois grandes bancos atuantes no crédito imobiliário, não divulgaram mudanças. Ambos já se destacam com as taxas mais atrativas do mercado – 8,3% e 7,99%, respectivamente -, mas é possível que sejam feitos novos reajustes com a queda da Selic. 

A Caixa Econômica Federal, principal financiadora de compra e construção de imóveis, já havia reduzido os juros no mês passado e agora aguarda autorização do Banco Central para indexar os empréstimos ao IPCA (inflação), medida que vai derrubar as tarifas em até 31,5%. Na avaliação de especialistas, a indexação ao IPCA é uma tendência no setor, em substituição à Taxa Referencial.

Com a queda da Selic, a Bolsa de Valores e os fundos de investimento em renda variável, como os fundos imobiliários (FII), tendem a receber novos aportes, uma vez que aplicações em renda fixa vão pagar menos aos investidores.

A próxima reunião do Copom acontece no dia 11 de setembro.

Foto: Raphael Ribeiro/Banco Central do Brasil

Para mais informações e acesso a conteúdos exclusivos, siga-nos em nossas redes sociais:

 

Clique aqui e receba semanalmente todo o conteúdo Smartus.

Próximos eventos

Todo o conhecimento e o know-how dos grandes líderes do mercado imobiliário em eventos imersivos e de alta performance. Venha evoluir com a gente!

Fortaleza

Fórum Imobiliário

22 agosto
2019

saiba mais

Belo Horizonte

Fórum Imobiliário

29 agosto
2019

saiba mais

São Paulo

Summit
Minha Casa Minha Vida

12 setembro
2019

saiba mais

São Paulo

Summit Modelos Disruptivos

23 setembro
2019

saiba mais

Curitiba

Fórum Imobiliário

10 outubro
2019

saiba mais

São Paulo

Summit Alto Padrão 2019

24 outubro
2019

saiba mais

São José dos Campos

Fórum Imobiliário

31 outubro
2019

saiba mais

São Paulo

Smartus Law Summit 2019

05 novembro
2019

saiba mais

Florianópolis

Fórum Imobiliário

21 novembro
2019

saiba mais

Rio de Janeiro

Fórum Imobiliário

28 novembro
2019

saiba mais

Brasília

Fórum Imobiliário

04 dezembro
2019

saiba mais
Desenvolvido por Mobme Comunicação