search

Juros atrelados ao IPCA vão reduzir taxas entre 28% e 31,5% no crédito imobiliário

Medida visa facilitar securitização da carteira da Caixa e aumentar financiamentos

19/7/19

A Caixa vai mudar o indexador que corrige os empréstimos realizados pelo banco para compra e construção de imóveis, atrelando os juros ao IPCA (inflação) – atualmente, os contratos são indexados à Taxa Referencial, indicador definido pelo Banco Central (BC). A instituição aguarda autorização do BC para anunciar a mudança.

Se autorizada, a medida vai reduzir entre 28% e 31,5% os juros para os tomadores de empréstimos. Os maiores descontos serão para clientes do banco com bom histórico de pagamento. O novo indexador valerá apenas para novos contratos e não será possível migrar de um modelo para o outro.

A ideia do banco é facilitar a securitização de sua carteira de crédito, pois contratos atrelados ao IPCA despertam maior interesse de investidores – por se tratar de um indicador utilizado pelo mercado. Dessa forma, a Caixa antecipa os recebíveis e consegue aumentar a quantidade de financiamentos imobiliários.

A fim de evitar calotes e atrair o interesse das securitizadoras, o banco estatal anunciou que somente serão securitizados financiamentos com baixo índice de inadimplência; contratos do programa Minha Casa, Minha Vida devem ser excluídos da prática.

Quando assumiu a presidência da Caixa, em janeiro, Pedro Guimarães anunciou os planos de arrecadar R$ 100 bilhões com a emissão de títulos lastreados em financiamentos imobiliários, sendo 10% ainda este ano. Com a medida, o banco projeta dobrar sua carteira de crédito habitacional, aproximando-se dos R$ 900 bilhões. A Caixa responde por 70% do mercado.

O motivo da redução dos juros

Embora a Taxa Referencial esteja zerada atualmente, a Caixa cobra um encargo adicional que varia entre 8,5% e 9,75%, após a redução anunciada no início do mês passado. Com os contratos atrelados ao IPCA, o banco vai reduzir essa tarifa para algo entre 2% e 3%. Como a inflação projetada para 2019 é de 3,82%, segundo o IBGE, os juros serão no máximo de 6,82%.

Mesmo que obtenha menos lucros com os empréstimos, a medida é positiva porque movimenta o setor da construção civil, um dos mais importantes para aquecer a economia. Na prática, o banco deve ganhar na maior quantidade de financiamentos realizados.

Crédito da imagem: G1

Para mais informações e acesso a conteúdos exclusivos, siga-nos em nossas redes sociais:

 

Clique aqui e receba semanalmente todo o conteúdo Smartus.

Próximos eventos

Todo o conhecimento e o know-how dos grandes líderes do mercado imobiliário em eventos imersivos e de alta performance. Venha evoluir com a gente!

Fortaleza

Fórum Imobiliário

22 agosto
2019

saiba mais

Belo Horizonte

Fórum Imobiliário

29 agosto
2019

saiba mais

São Paulo

Summit
Minha Casa Minha Vida

12 setembro
2019

saiba mais

São Paulo

Summit Modelos Disruptivos

23 setembro
2019

saiba mais

Curitiba

Fórum Imobiliário

10 outubro
2019

saiba mais

São Paulo

Summit Alto Padrão 2019

24 outubro
2019

saiba mais

São José dos Campos

Fórum Imobiliário

31 outubro
2019

saiba mais

São Paulo

Smartus Law Summit 2019

05 novembro
2019

saiba mais

Florianópolis

Fórum Imobiliário

21 novembro
2019

saiba mais

Rio de Janeiro

Fórum Imobiliário

28 novembro
2019

saiba mais

Brasília

Fórum Imobiliário

04 dezembro
2019

saiba mais
Desenvolvido por Mobme Comunicação