search

Anúncio da Caixa corta prestações em até 50% com inflação atual

Banco é o primeiro a disponibilizar financiamento imobiliário com juros atrelados ao IPCA

21/8/19

Após o Conselho Monetário Nacional (CMN) autorizar a indexação de juros em financiamentos imobiliários ao IPCA (inflação), a Caixa anunciou que a partir da próxima segunda-feira (26) vai disponibilizar essa opção aos consumidores. O banco definiu que as taxas serão entre 2,95% e 4,95% + IPCA, dependendo da relação do cliente com a instituição – correntistas, por exemplo, vão pagar menos.

O presidente Pedro Guimarães já havia externado planos neste sentido, conforme noticiado pela Smartus no mês passado. Na cerimônia realizada no Palácio do Planalto na terça-feira (20), ele apresentou uma simulação que compara os juros corrigidos pela TR e pelo IPCA. Para um imóvel de R$ 300 mil, as prestações do financiamento são reduzidas em 49,4%, considerando a inflação atual.

Os outros grandes bancos atuantes no crédito imobiliário – Bradesco, Santander, Itaú Unibanco e Banco do Brasil – ainda não confirmaram adesão ao novo sistema, mas a tendência é que também o disponibilizem aos clientes. 

É essa a expectativa do governo: estimular a concorrência e ampliar a disponibilidade de recursos no mercado. A indexação ao IPCA é somente uma dentre as medidas estudadas pelo Banco Central para expandir a oferta de crédito.

Responsável por aproximadamente 70% dos financiamentos para compra e construção de imóveis, a Caixa projeta arrecadação de R$ 100 bilhões com a emissão de títulos lastreados em crédito imobiliário nos próximos 10 anos. Isso porque a indexação ao IPCA é mais atrativa para investidores e permite, por exemplo, a securitização dos recebíveis no mercado de capitais.

No mesmo período, o banco estatal quer dobrar sua carteira de crédito habitacional, injetando mais de R$ 900 bilhões no mercado. 

Mudança é opcional e oferece riscos no longo prazo

O presidente Pedro Guimarães esclareceu que a indexação ao IPCA é facultativa para o tomador do empréstimo, ou seja, a correção pela TR permanece disponível. Embora a Taxa Referencial esteja zerada desde 2017, os juros cobrados pela Caixa são maiores porque, dentre outras razões, é mais difícil negociar os títulos de dívida no mercado.

De acordo com o anúncio, os financiamentos atrelados ao IPCA só valem para novos contratos, terão prazo máximo de pagamento de 360 meses (30 anos) e podem quitar o limite de 80% do valor do imóvel, tanto no Sistema Financeiro da Habitação (para imóveis de até R$ 1,5 milhão) quanto no Sistema de Financiamento Imobiliário (para imóveis acima desse valor). Não há mudanças quanto ao uso de recursos da poupança ou do FGTS.

Na avaliação de especialistas, embora a inflação esteja controlada (a previsão é que encerre 2019 em 3,71%, de acordo com o último Boletim Focus), no longo prazo a alternativa pela indexação ao IPCA oferece riscos ao comprador – em 2015, por exemplo, a inflação superou os 10% no ano.

A novidade não se aplica aos contratos inseridos no programa Minha Casa, Minha Vida.

Foto: Isac Nóbrega/PR

Para mais informações e acesso a conteúdos exclusivos, siga-nos em nossas redes sociais:

 

Clique aqui e receba semanalmente todo o conteúdo Smartus.

Próximos eventos

Todo o conhecimento e o know-how dos grandes líderes do mercado imobiliário em eventos imersivos e de alta performance. Venha evoluir com a gente!

Florianópolis

Fórum Imobiliário

21 novembro
2019

saiba mais

Rio de Janeiro

Fórum Imobiliário

28 novembro
2019

saiba mais

Brasília

Fórum Imobiliário

05 dezembro
2019

saiba mais
Desenvolvido por Mobme Comunicação