Receba nossos conteúdos exclusivos!

O melhor conteúdo sobre o mercado imobiliário para você ficar por dentro de tudo o que acontece no setor!

N
Notícias

Vender sonhos no lugar de terrenos: a estratégia para loteamentos

Plataforma reúne informações do lote e cruza com projetos de arquitetura compatíveis, visualizados em realidade aumentada

05/03/2020
Por Henrique Cisman

Que tipo de abordagem comercial você utiliza para vender as unidades de seus loteamentos? Nascida em maio de 2017, a startup InstaCasa propõe uma nova forma de apresentar o produto para os potenciais compradores: ao invés de vender terrenos, a loteadora passa a vender sonhos. 

Tal ponto de vista é alcançado graças à plataforma desenvolvida pela startup, que reúne informações do lote fornecidas pelo loteador, questões legislativas do município e até regulamentos construtivos (se houver) para cruzar com projetos de arquitetura compatíveis que compõem a base de projetos criada pelos arquitetos da InstaCasa. Esse “match” leva em consideração todas as variáveis – físicas e legais – de cada lote do empreendimento. 

“O comprador consegue escolher uma dentre centenas de possibilidades”, afirma o sócio e CEO da startup, Mauricio Carrer. Mais do que o “match”, a tecnologia também permite que o projeto arquitetônico escolhido seja visualizado no terreno adquirido, com uso de realidade aumentada, em uma espécie de maquete virtual.

“É uma nova experiência que oferecemos no estande de vendas ou no próprio lote através de tecnologia”, explica Carrer. Segundo o especialista, o ideal é o corretor aproveitar a tecnologia à disposição para usá-la a favor da venda. “É possível visualizar a casa através de realidade aumentada e realidade virtual, andando pelos cômodos da futura casa. Tudo isso pelo estande de vendas ou diretamente no lote, em tamanho real. Assim, a pessoa tem a sensação de estar em um decorado”. Confira o vídeo.

Empreendimentos novos com foco em público econômico

De acordo com o fundador da InstaCasa, a plataforma tem foco em novos empreendimentos, uma vez que a inteligência da solução vai muito além da etapa de vendas: “Temos uma integração muito forte com os departamentos de comunicação e vendas para definir a estratégia; produzimos peças gráficas, realizamos treinamento dos corretores, participamos ativamente das ações, o que não ocorre quando o empreendimento já foi lançado”, avalia o especialista.

Carrer afirma que o modelo de negócio obtém grande sucesso nos empreendimentos novos focados no público econômico, com cases de vendas superiores a 60% nos lançamentos. “É um comprador que muitas vezes não consegue visualizar o que fazer naquele lote e que tem dificuldade para contratar um arquiteto. Então, a entrega de valor é muito grande”, explica.

Em relação às informações obtidas, as características do lote são fornecidas pela contratante, enquanto as questões legislativas são coletadas pela própria InstaCasa junto aos órgãos municipais competentes. 

Além desta equipe, a startup tem ainda outros três núcleos: o de comunicação, que realiza o primeiro contato com o cliente e esclarece dúvidas; o de arquitetos, responsável por desenvolver os projetos que compõem a base de dados da empresa e receber dos clientes os projetos escolhidos no formato de aprovação para a prefeitura; e o de treinamentos, que orienta as equipes da loteadora sobre como utilizar a plataforma e acelerar as vendas.

Alcance, investimento e retorno

A solução consegue atender digitalmente projetos em todo o país. Segundo Carrer, é comum que as equipes façam pelo menos uma visita ao empreendimento, mas há casos de serviços prestados totalmente à distância. “Não há limite demográfico. Já atendemos projetos em oito estados, mas a maior parte está concentrada em São Paulo”. Com mais de 10 mil lotes na carteira, a meta da startup é dobrar a quantidade em 2020 e atuar em todos os estados do Brasil.

mãos segurando um tablet com o aplicativo da instacasa aberto

Usuários conseguem visualizar projetos compatíveis a cada terreno do empreendimento

Em relação aos valores, o especialista afirma que o modelo de negócio oferece exposição de caixa zero para o loteador. “A InstaCasa só é remunerada depois que o lote é vendido, com um valor fixo por lote. Nos últimos quatro lançamentos, mesmo com o mercado ainda em baixa, a venda foi superior a 50%. O padrão do mercado é bem abaixo disso”, afirma.

Atual momento do mercado de loteamentos

Na avaliação do CEO da InstaCasa, os empresários estão animados com a melhora da situação econômica do país e com a retomada do setor iniciada em 2019. “Muitos loteadores seguraram lançamentos e postergaram para esse ano, principalmente no último trimestre [de 2019]. Acho que foi por um bom motivo”, opina.

Apesar do cenário, a capacidade de pagamento dos consumidores ainda está bastante comprometida, segundo Carrer. “Acho que 2020 ainda é um ano de recuperação, e os próximos dois anos serão de um mercado realmente muito bom, de vendas rápidas”, afirma.

Sobre a aplicação de tecnologias, o especialista é enfático: “Vejo poucas iniciativas de tecnologia no mercado de loteamentos. No mercado imobiliário, são várias, mas muito concentradas no mercado vertical, de incorporação”. 

“Por outro lado, vejo um movimento de renovação (em loteamentos), algo ainda muito pequeno, mas que vai crescer, com certeza. São jovens assumindo os negócios e querendo implantar coisa nova”, finaliza.

Mauricio Carrer é presença confirmada no Smartus Proptech Summit 2020. Confira a programação no link. 

Leia também: Startup tem 6 milhões de imóveis rurais mapeados com 700 variáveis de dados
Combinação de fatores aponta para melhor ano do setor desde 2013

Para mais informações e acesso a conteúdos exclusivos, siga-nos em nossas redes sociais:

logo do facebook
logo do linkedin
logo do instagram- Matéria franquia de piscinas
logo do spotify - Matéria franquia de piscinas
logo do tumbler - Matéria franquia de piscinas
logo do youtube - Matéria franquia de piscinas

 

leia também
Para Mais conteúdo exclusivo, siga nossas redes!
DESIGN & CODE BY Mobme