search

Poupança vai superar FGTS no crédito imobiliário

Mercado de imóveis deve movimentar R$ 126 bilhões em financiamentos

20/2/19

A Associação Brasileira das Entidades de Crédito Imobiliário e Poupança (Abecip) estima que em 2019 os recursos oriundos da poupança vão superar os financiamentos realizados através do FGTS. A entidade prevê que o setor imobiliário vai movimentar R$ 126 bilhões, dos quais 54% (R$ 69 bilhões) provenientes do SBPE (Sistema Brasileiro de Poupança e Empréstimo).

No ano passado, a poupança emprestou R$ 57 bilhões para o setor imobiliário, 33% a mais do que em 2017. Nos últimos anos, porém, a maior parte do crédito imobiliário é cedido pelo FGTS, principal financiador do Programa Minha Casa, Minha Vida (MCMV), que em 2018 representou mais de 70% das vendas e lançamentos residenciais no Brasil.

Se a expectativa da Abecip se confirmar, o SBPE terá acrescido em 20% o financiamento para compra e construção de imóveis no fim do ano, em relação a 2018, enquanto o FGTS reduzirá em 5% na comparação com o ano passado, quando emprestou cerca de R$ 60 bilhões ao mercado imobiliário.

De acordo com o presidente da Abecip, Gilberto Duarte, a projeção realizada é “intermediária”, podendo ser menor ou maior dependendo do avanço de reformas na política, principalmente a previdenciária. “Se as reformas forem feitas, isso se traduzirá em expectativas mais otimistas entre os setores produtivo e financeiro, com tendência de ampliação de investimentos e empréstimos”, afirmou.

Mesmo com Bolsa em alta, poupança aumentou captação

Historicamente preferida pela maioria dos brasileiros, a poupança aumentou a captação de recursos no ano passado, mesmo em um cenário de alta da Bolsa de Valores, que progrediu 15%. Em 2018, o SBPE captou 64,6% dos investimentos de pessoas físicas, de acordo com a Associação Brasileira das Entidades dos Mercados Financeiro e de Capitais (Anbima).

Mesmo entre os investidores mais ricos, também houve alta nas aplicações em poupança: 12,8% da carteira, contra 11,6% em 2017. Nessa classe social, entretanto, o mercado de ações e os fundos multimercados tiveram crescimentos maiores, de 4% para 5,5% e de 7,8% para 9,6% das carteiras de ativos, respectivamente.

Na opinião do diretor da Associação Brasileira de Planejadores Financeiros, Francisco Levy, os principais motivos para a poupança manter a captação em alta mesmo em um cenário positivo para a renda variável são as elevadas taxas de administração que incidem sobre investimentos menores no mercado de capitais, além da importância dada à segurança da aplicação: “O investidor pequeno tem um trauma maior pelas perdas”, explica.

Para mais informações e acesso a conteúdos exclusivos, siga-nos em nossas redes sociais:

Clique aqui e receba semanalmente todo o conteúdo Smartus.

Próximos eventos

Todo o conhecimento e o know-how dos grandes líderes do mercado imobiliário em eventos imersivos e de alta performance. Venha evoluir com a gente!

Florianópolis

Fórum Imobiliário

21 novembro
2019

saiba mais

Rio de Janeiro

Fórum Imobiliário

28 novembro
2019

saiba mais

Brasília

Fórum Imobiliário

05 dezembro
2019

saiba mais

São Paulo

Smartus
Proptech Summit 2020

19 março
2020

saiba mais
Desenvolvido por Mobme Comunicação