search

Alternativas aos bancos ganham visibilidade na crise

Fundos multimercado, FIIs e crowdfunding estão entre as opções para incorporadoras

16/04/2020
Por Henrique Cisman

Os empresários acompanham com esperança as ações do Ministério da Economia para salvar negócios e empregos no atual momento. Ao lado do Poder Executivo, a Caixa tem anunciado medidas que atendem o mercado imobiliário, mas um movimento parecido ainda é tímido nos demais bancos. 

“O banco prefere não tomar risco em emprestar dinheiro e, eventualmente, no entendimento dele, ficar desguarnecido, emprestar para quem eles acham que não pode pagar. Portanto, o governo está carimbando o dinheiro e dizendo que a responsabilidade de um eventual default é dele”, explica o administrador João Sampaio Vianna, fundador e presidente da Ipanema Investimentos.

Pareado à realidade, o mercado imobiliário tem encontrado outras formas de tomar recursos, seja para financiar a produção como para se desfazer da dívida com os bancos após a conclusão da obra. Rafael Andrade, vice-presidente comercial da Captalys Real Estate, afirma que um dos produtos da gestora tem sido bastante procurado nesse momento de crise, na qual emerge o cenário de iliquidez.

A operação, chamada Giro de Estoque, consiste na liberação de até 60% do valor das unidades não vendidas para que as incorporadoras quitem os débitos bancários (alonguem seus eventuais passivos de obra) ou utilizem os recursos para capital de giro (se o financiamento bancário já foi pago). “O prazo é maior – até 36 meses – e outro diferencial é o pagamento somente quando se comercializa a unidade. Não existe pagamento de juros mensais nem parcela de amortização periódica”, explica Andrade.

Com recursos oriundos de fundos geridos pela Captalys, o Giro de Estoque é aderente ao momento atual: “Não é um produto novo, mas o mercado é cíclico e os problemas se repetem. Ajustamos, por exemplo, o percentual-limite da operação de 50% para 60% e incluímos estoque de unidades comerciais”, afirma o VP comercial da gestora.

Devido à crise, o presidente da Ipanema Investimentos revela que o lançamento do FII (fundo de investimento imobiliário) da empresa foi suspenso, mas uma nova solução de investimento imobiliário será lançada em maio, segundo o executivo. “Vamos continuar captando e investindo. É uma alternativa para tempos de crise”, diz Vianna, sem revelar mais detalhes da operação.

Amplamente conhecido para arrecadações coletivas, o crowdfunding é outra alternativa para investimento e financiamento imobiliário. “A procura tem sido maior. O crowdfunding é um pouco antigo, mas não para a cabeça do incorporador. Hoje, é mais uma opção para esse mercado, uma alternativa de peer-to-peer na qual o credor é o investidor e o devedor é o tomador do crédito”, afirma Alex Silva, fundador da Swiss Consultoria em Investimento Coletivo.

Segundo Silva, a empresa nasceu justamente da percepção de que os incorporadores têm muitas dúvidas sobre como captar recursos via crowdfunding: “Recebemos, em média, de 100 a 150 executivos por mês interessados nesse modelo. Algumas plataformas são muito exigentes, outras, mais maleáveis. Levamos o cliente para a plataforma que mais se encaixa ao perfil da empresa dele”.

Cenário favorece mercado de capitais

Na avaliação de Rafael Andrade, embora a Caixa tenha sido bastante responsável, ainda é cedo para entender a efetividade das medidas anunciadas: “A dificuldade é na concessão de novas operações de crédito; linhas que antes estavam disponíveis e aprovadas, deixaram de estar por conta das incertezas do mercado. A procura [pelo mercado de capitais] está maior”, afirma. 

Para João Sampaio Vianna, “os bancos, em um movimento de proteção, represam toda sorte de crédito e cedem espaço para alternativas não existentes ou que eram insuficientes”. Ele entende que haverá cada vez mais alternativas no mercado de capitais ao financiamento bancário. “Independente de crise, é uma tendência irreversível”. 

Já o consultor Alex Silva salienta que as operações de crowdfunding são mais dinâmicas, menos burocráticas e contam com engajamento do financiador (os investidores, geralmente pessoas físicas). “Os incorporadores estão acostumados com os bancos, que trazem receita pronta e o tomador tem que aceitá-la. No crowdfunding, o cliente tem total liberdade para fazer o pagamento no prazo estipulado”. 

Rafael Andrade, VP comercial da Captalys, destaca que há cada vez menos espaço para a intermediação realizada pelos bancos: “O setor tem atravessado o caminho da desintermediação, é a forma mais eficiente para conectar o tomador de recursos com o investidor”. 

O presidente da Ipanema Investimentos, João Sampaio Vianna, ressalta que a Selic é o fator-chave da mudança de cenário: “Diferente do que foi feito no passado, a Selic tende a se manter em patamares baixos por muito mais tempo, não pela força da caneta, mas porque as condições permitem. Se fizer a conta do rendimento real, tirando a inflação do período, vai ganhar 0,20% ao ano [na renda fixa]”.

Segundo Vianna, haverá migração maciça de investimentos para a Bolsa de Valores, aos FIIs e a outros instrumentos de ativos reais: “As pessoas vão ter que parar com a ideia de rentismo, no sentido de comprar CDI, títulos do Tesouro etc., e ir para a vida real. Todos estão fazendo o mesmo movimento, não porque querem, mas por imposição da realidade”. 

Leia também: Em apenas 34 dias, Imob cai 54%. Existe perspectiva de melhora?
Menos voláteis, fundos imobiliários são boas opções no mercado

Para mais informações e acesso a conteúdos exclusivos, siga-nos em nossas redes sociais:

Clique aqui e receba semanalmente todo o conteúdo Smartus.

Próximos eventos

Todo o conhecimento e o know-how dos grandes líderes do mercado imobiliário em eventos imersivos e de alta performance. Venha evoluir com a gente!

Ribeirão Preto - São Paulo

Fórum Imobiliário Ribeirão Preto

18 junho
2020

saiba mais

Salvador - Bahia

Fórum Imobiliário Nordeste

25 junho
2020

saiba mais

São Paulo

Smartus
Summit Moradias Populares

06 agosto
2020

saiba mais

São Paulo

Smartus
Summit Gestão Inovadora 2020

27 agosto
2020

saiba mais

Rio de Janeiro - RJ

Fórum Imobiliário Rio de Janeiro

10 setembro
2020

saiba mais

Brasília - Distrito Federal

Fórum Imobiliário Brasília

24 setembro
2020

saiba mais

Curitiba - Paraná

Fórum Imobiliário Curitiba

01 outubro
2020

saiba mais

São Paulo

Smartus
Summit Modelos Disruptivos 2020

05 outubro
2020

saiba mais

São Paulo

Smartus
Summit Multipropriedade 2020

20 outubro
2020

saiba mais

Presidente Prudente - São Paulo

Fórum Imobiliário Presidente Prudente

22 outubro
2020

saiba mais

São Paulo

Smartus
Law Summit 2020

05 novembro
2020

saiba mais

Fortaleza - Ceará

Fórum Imobiliário Fortaleza

19 novembro
2020

saiba mais

Belo Horizonte - Minas Gerais

Fórum Imobiliário Belo Horizonte

26 novembro
2020

saiba mais

Goiânia - Goiás

Fórum Imobiliário Goiânia

02 dezembro
2020

saiba mais
DESIGN & CODE BY Mobme