Receba nosso conteúdo exclusivo!

O melhor conteúdo sobre o setor para você ficar por dentro de tudo que acontece!

N
Notícias

Imóveis residenciais apresentam valorização nos preços em 2020

Enquanto isso, segmento comercial mostra estabilidade

Daniel Caravetti

20/08/2020

O preço dos imóveis residenciais no Brasil avançou 0,28% no último mês de julho, com ligeira queda real de 0,08%, de acordo com o Índice Fipe Zap. Outro indicador, o IGMI-R (Índice Geral do Mercado Imobiliário Residencial), da ABECIP (Associação Brasileira das Entidades de Crédito Imobiliário e Poupança), revela variação mensal semelhante, de 0,29%.

Considerando a variação em 2020, o aumento nos preços foi de 1,39%, desta vez, com alta real de 0,93%, uma vez que a variação esperada para o IPCA no período é de +0,46%. As maiores altas foram registradas por Florianópolis (+4,66%), Brasília (+4,34%) e Curitiba (+3,45%). 

No período, nas duas maiores cidades do país, São Paulo e Rio de Janeiro, os preços de venda do segmento residencial acumulam altas de 1,98% e 0,26%, respectivamente. Apenas duas dentre as 16 capitais monitoradas ainda exibem queda nominal no preço médio dos imóveis: Recife (-5,53%) e Fortaleza (-0,88%). Veja o gráfico abaixo, que mostra a variação acumulada anualmente.

Nesse horizonte temporal, o preço médio dos imóveis residencias apresenta avanço nominal de 1,13% (Elaboração: Fipe Zap)

Para o economista Fábio Tadeu Araújo, diretor comercial da Brain, o aumento no preço dos imóveis se baseia na lei da oferta e procura: “Na medida em que o volume de lançamentos despencou durante a pandemia e a demanda apresentou pequena queda inicial e recuperação nos últimos dois meses, houve uma recuperação do mercado imobiliário e aumento nos preços”, diz em entrevista à Smartus

Imóveis comerciais

Se os imóveis residenciais vem apresentando valorização, os comerciais têm convivido com uma certa estabilidade nos preços. O último balanço do Índice Fipe Zap, de junho, aponta queda no preço médio de venda de 0,04%, com baixa real de 0,3%. 

Levando em conta o ano de 2020, houve desvalorização de 0,16%, com queda real de 0,26%. Os destaques positivos foram Salvador (+2,18%), Florianópolis (+2,17%) e São Paulo (+0,59%), enquanto os negativos foram Rio de Janeiro (-1,79%), Belo Horizonte (-1,65%) e Porto Alegre (-0,96%). Confira o gráfico, que mostra a variação acumulada na venda de imóveis comerciais, assim como na locação.

Preços têm se mantido estáveis desde janeiro de 2019 (Elaboração: Fipe Zap)

“Podemos considerar que houve estabilidade nos preços dos imóveis comerciais. O resultado não é positivo como no segmento residencial, pois a consolidação do home office, assim como a falência de empresas na pandemia, colaboram para um aumento nas renegociações de contrato, e, como resultado, na desvalorização do preço de venda destes espaços”, conclui o especialista da Brain.

DESIGN & CODE BY Mobme