search

“Ficar parado é pior do que tentar e falhar”, avalia diretor da Stefanini

Especialista afirma que inovar vai muito além de inserir tecnologia nos processos

17/9/19

São tantas as ferramentas disponíveis no mercado que fica difícil saber qual se adequa melhor às necessidades e à realidade econômica da empresa, seja ela do ramo de incorporação, construção ou loteamentos. Porém, isso não serve de muleta para encarar a defasagem do setor no tocante à inovação.

Para o diretor de novos negócios da Stefanini, Guilherme Stefanini, é melhor arriscar e testar soluções do que ficar parado: “O mindset digital é muito empreendedor – querer fazer diferente, mudar, continuar tentando quando dá errado… tem que ter persistência”, afirma.

O especialista destaca que em muitas empresas é preciso fazer um trabalho cultural antes de implementar qualquer tecnologia. “A cultura é fundamental e não somente tem a ver com tecnologia; inovação é buscar atender melhor o cliente, seja melhorando os processos que já existem ou desenvolvendo coisas novas para ele. O trabalho de aculturamento é fundamental”, defende.

Por outro lado, Stefanini argumenta que é difícil comparar a transformação digital entre diferentes setores – a construção civil é apontada como uma das menos impactadas. “Quando você pega setores com ativos físicos mais fortes, como a construção, claramente há mais dificuldades e o grande ganho é trabalhar a integração da cadeia”, explica.

Especificamente no setor imobiliário, Stefanini aponta que muitas vezes o erro está no preciosismo de querer uma solução que atenda a todos os problemas de uma só vez ao invés de uma evolução por etapas. Dessa forma, o custo da inovação está muito mais ligado à correta aplicação de tecnologia para resolver um problema do que ao custo das tecnologias em si.

“A primeira coisa é entender o problema e qual o desafio: é adquirir mais clientes, gastar menos na obra, otimizar o tempo no processo… sobre o que estamos trabalhando?”, ilustra. No final de cada dia de trabalho, a inovação deve gerar resultado, do contrário a empresa está investindo esforços em uma solução que serve muito mais a ela do que ao próprio cliente na ponta.

Melhorias em todas as fases

Inovação e uso de tecnologias podem melhorar os resultados em todas as etapas de um projeto imobiliário, desde a avaliação para escolha de um terreno bem localizado, assertivo em relação ao tipo de empreendimento, passando pela automatização da obra, acompanhamento e medições para neutralizar atrasos e desperdícios, até a oferta dos serviços que mais agradam aos clientes.

Nos casos acima, destacam-se as soluções que utilizam inteligência artificial, big data, machine learning e sensores IoT. Já o blockchain vem abrindo portas para uma revolução na transação de imóveis. “Com a experiência recente que tive com o setor imobiliário, [o blockchain] pode facilitar as transações, seja para o cliente na compra, para a incorporadora reduzindo a burocracia, é uma tecnologia que leva valor à cadeia”, esclarece Stefanini.

Provendo soluções para diversos segmentos do mercado, a Stefanini tanto desenvolve tecnologia própria quanto busca parceiros entre startups e outras companhias para resolver os problemas dos clientes. Na próxima segunda (23), em São Paulo, Guilherme Stefanini vai palestrar no Summit Modelos Disruptivos 2019 sobre como antecipar demandas e criar novos modelos de negócio.

Para mais informações, clique aqui.

Para mais informações e acesso a conteúdos exclusivos, siga-nos em nossas redes sociais:

 

Clique aqui e receba semanalmente todo o conteúdo Smartus.

Próximos eventos

Todo o conhecimento e o know-how dos grandes líderes do mercado imobiliário em eventos imersivos e de alta performance. Venha evoluir com a gente!

São José dos Campos

Fórum Imobiliário

31 outubro
2019

saiba mais

São Paulo

Smartus Law Summit 2019

05 novembro
2019

saiba mais

Florianópolis

Fórum Imobiliário

21 novembro
2019

saiba mais

Rio de Janeiro

Fórum Imobiliário

28 novembro
2019

saiba mais

Brasília

Fórum Imobiliário

04 dezembro
2019

saiba mais
Desenvolvido por Mobme Comunicação