search

Letra Imobiliária Garantida é nova opção de financiamento

Primeira emissão do título foi realizada no fim de novembro pelo banco Santander

10/12/18

O mercado de capitais brasileiro dispõe de um novo produto de investimento para financiar o setor imobiliário, a Letra Imobiliária Garantida (LIG). Introduzido por medida provisória no fim de 2014, o título foi estabelecido pela Lei nº 13.097 em janeiro do ano seguinte, porém só agora passou a ser registrado pela B3 – Brasil, Bolsa, Balcão. O banco Santander foi o primeiro a lançar LIG no mercado, no fim de novembro.

Os papéis são uma espécie de covered bond brasileiro. Na Europa, é comum o uso desses títulos para levantar crédito imobiliário, correspondendo, em média, a 20% dos recursos disponíveis para o setor. Em 2017, a LIG movimentou mais de 2,5 trilhões de euros no continente europeu.

A nova opção vem para complementar as modalidades de investimento em renda fixa no mercado de imóveis, juntando-se a poupança, LCI (Letra de Crédito Imobiliário) e CRI (Certificado de Recebíveis Imobiliários), com o diferencial de ter um prazo mais longo – mínimo de dois anos de retenção – e apresentar dupla garantia, pois caso a instituição financeira venha a falir, por exemplo, o investimento estará atrelado a uma carteira de ativos imobiliários do banco, que então será transferida automaticamente ao cliente detentor da LIG.

Por outro lado, a Letra Imobiliária Garantida não faz parte das aplicações asseguradas pelo FGC (Fundo Garantidor de Crédito), mecanismo criado pelas instituições financeiras para proteger o investidor em aportes de até R$ 250 mil por banco (ou até R$ 1 milhão no total de todos os investimentos). Regulamentado pelo Banco Central desde maio, o título ainda não consta nas instruções da Comissão de Valores Mobiliários (CVM), mas o lançamento dos primeiros papéis no mercado por parte das instituições financeiras deve acelerar este processo.

Potencial de crescimento do crédito

De acordo com a chefe do Departamento de Regulação do Sistema Financeiro do Banco Central (BC), Silvia Marques, há espaço para o crédito imobiliário dobrar ou até triplicar no Brasil, uma vez que o montante atual corresponde a cerca de 10% do PIB (Produto Interno Bruto) nacional, ao passo que em outros países emergentes este percentual é de 20% a 30%. “A LIG pode ser o instrumento para isso”, diz.

Pelo maior prazo de retenção nas instituições financeiras, a LIG surge como alternativa mais segura para o financiamento imobiliário, uma vez que os demais investimentos (poupança, principalmente) têm alta liquidez, isto é, embora o financiamento tenha prazos longos de quitação, os saques podem ser feitos pelos investidores a qualquer momento, gerando desequilíbrio na oferta de crédito.

Com saldo de R$ 781 bilhões, a poupança tem dado conta da atual demanda, mas o cenário pode se alterar caso haja um boom no setor, como esperam alguns players e especialistas. “Os bancos conseguem controlar bem o comportamento dos fluxos da poupança, mas isso não muda o fato de que a caderneta não é o funding ideal para financiamento imobiliário”, afirma o jornalista especializado em derivativos e informações econômico-financeiras, Vinícius Pinheiro.

Com rendimento que pode ser atrelado à variação cambial do dólar ou a índices de inflação (a depender do tipo de título adquirido), a expectativa é que a LIG também atraia mais investimento estrangeiro para o País.

Para mais informações e acesso a conteúdos exclusivos, siga-nos em nossas redes sociais:

Clique aqui e receba semanalmente todo o conteúdo Smartus.

Próximos eventos

Todo o conhecimento e o know-how dos grandes líderes do mercado imobiliário em eventos imersivos e de alta performance. Venha evoluir com a gente!

Porto Alegre

Fórum Imobiliário

04 julho
2019

saiba mais

Recife

Fórum Imobiliário

08 agosto
2019

saiba mais

Fortaleza

Fórum Imobiliário

22 agosto
2019

saiba mais

Belo Horizonte

Fórum Imobiliário

29 agosto
2019

saiba mais

Curitiba

Fórum Imobiliário

17 outubro
2019

saiba mais

Florianópolis

Fórum Imobiliário

21 novembro
2019

saiba mais
Desenvolvido por Mobme Comunicação