search

Especialista orienta como agir perante objeções ao preço do imóvel

Desconto no valor pedido deve ser uma das últimas alternativas para fechar negócio

14/3/19

Sempre foi assim, e ganhou ainda mais força nos anos de crise econômica: lidar com a barganha no preço a ser pago por um imóvel não é um obstáculo que empreendedores encaram com ar de novidade. Porém, muitas vezes o corretor não consegue contra-argumentar e o imóvel aparentemente perde valor na negociação.

Evitar essa cilada passa por alguns aspectos, sendo um dos primeiros a correta precificação da unidade. O instrutor do curso “Está caro! Objeções de preço”, da e-BRAIN, Marcos Kahtalian, explica que o ponto de partida na precificação deve ser sempre a análise do mercado, isto é, a relação de oferta e demanda e como a concorrência está lidando com o produto.

“É preciso estabelecer a categoria de fato em que o produto concorre, estabelecendo seu posicionamento de preço, que precisa ser claramente justificado por isso”, afirma. Também é fundamental calcular a base de custos do empreendimento e que margem de lucro se espera obter, tendo como referência as negociações mais recentes do mercado.

Durante uma negociação, é importante identificar pontos que favorecem o empreendedor, como o desejo do cliente por um produto específico ou exclusivo, maior demanda do mercado ou flexibilidade nas condições de pagamento. “Sempre achamos que o cliente pode mais, mas nem sempre – e sobretudo não necessariamente – deve ser assim”, diz.

Para mostrar ao potencial comprador que o preço pedido é justo, Kahtalian orienta que é preciso conhecer a fundo o próprio produto, de modo a “tangibilizar para o cliente, de forma clara e vibrante, os atributos do mesmo”, isto é, as características que geram os benefícios mais significativos para o cliente.

Desconto deve ser usado como troca de vantagens

Na opinião de Kahtalian, reduzir o preço do imóvel deve ser uma das últimas coisas a serem colocadas em uma negociação, somente nas etapas finais das tratativas com o cliente. “O desconto deve ocorrer quando a negociação está aquecida, como um benefício para o fechamento imediato do acordo”, explica.

Em outras circunstâncias, a redução nunca pode ser concedida sem que haja concessão em troca. “O desconto sempre deve acontecer em função de uma troca de vantagens na negociação. Toda concessão deve pedir outra em troca”, ressalta.

O especialista cita como exemplo solicitar maior quantia de entrada em troca do desconto ou mesmo encurtar o prazo de pagamento, aumentando o valor das parcelas.

Para ter acesso ao conteúdo completo, confira o curso na íntegra.

Para mais informações e acesso a conteúdos exclusivos, siga-nos em nossas redes sociais:

Clique aqui e receba semanalmente todo o conteúdo Smartus.

Próximos eventos

Todo o conhecimento e o know-how dos grandes líderes do mercado imobiliário em eventos imersivos e de alta performance. Venha evoluir com a gente!

Recife

Fórum Imobiliário

08 agosto
2019

saiba mais

Fortaleza

Fórum Imobiliário

22 agosto
2019

saiba mais

Belo Horizonte

Fórum Imobiliário

29 agosto
2019

saiba mais

São Paulo

Summit
Minha Casa Minha Vida

12 setembro
2019

saiba mais

Rio de Janeiro

Fórum Microliving

19 setembro
2019

saiba mais

São Paulo

Summit Modelos Disruptivos

23 setembro
2019

saiba mais

Curitiba

Fórum Imobiliário

10 outubro
2019

saiba mais

São Paulo

Summit Alto Padrão 2019

24 outubro
2019

saiba mais

São José dos Campos

Fórum Imobiliário

31 outubro
2019

saiba mais

São Paulo

Smartus Law Summit 2019

05 novembro
2019

saiba mais

Florianópolis

Fórum Imobiliário

21 novembro
2019

saiba mais

Brasília

Fórum Imobiliário

04 dezembro
2019

saiba mais
Desenvolvido por Mobme Comunicação